Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player







Notícias
   
Site












Limite e Mediação da Sesmaria


As atividades de 1748 tiveram como fecho a mediação da Sesmaria. O marco inicial foi fincado a uma légua distante da "cachoeira bonita e grande que se encontra acima da Aldeia chamada Salto Grande e termina umas braças da ilha chamada Rafael, situada a um terço de légua para cima do arraial.

A medição começou em Julho e terminou em 1? de Agosto. O Dr. Ouvidor inspecionou o trabalho por ordem do Vice-Rei e achou tudo em ordem.

Acabaram a capela de N. Sra. do Rosário, as portas da igreja e a sacristia, forraram de tábua a capela-mor e toda a igreja construindo parapeitos em volta da construção. Ampliaram a casa com outros cômodos considerados indispensáveis. Ergueram quatro colunas na capela-mor e mais quatro no corpo da igreja e, finalmente, iniciaram a construção de quatro lances de casas com varandas para servirem de enfermaria aos doentes da Aldeia.

Benção da igreja provisória

Não obstante os esforços empregados pelos missionários, trabalhando sem parar com as próprias mãos no revestimento da igreja, não conseguindo acabá-la como desejavam, contudo - declararam as memórias - estava a ponto de ser oficiada, arrumada, coberta de telhas, rebocada e caiada, quase totalmente.

Na festa de São Fidélis de 1785, procedeu-se a benção e inauguração da Igreja. O Exmo. Bispo diocesano concedeu com prazer e necessária licença. Devido a esse acontecimento, a festa de São Fidélis revestiu-se de excepcional pompa e brilho. Esteve presente ao ato o Revmo. Pe. Vigário da vila de São Salvador, o qual desde a véspera se encontrava em São Fidélis, em companhia do comissário da Ordem Terceira de N. Sra. do Carmo, juntamente com muitas pessoas amigas. A cerimônia religiosa foi presidida pelo Revmo. Vigário que, na tarde do mesmo dia 24, benzeu o sino, cujos repiques festivos encheram de comoção e alegria os habitantes da aldeia.

No dia seguinte, com a presença do Revmo. Pe. José da Cruz Domingues, Vigário da Vara, procedeu-se a benção no cemitério. A festa ficou assinalada por grandes números de forasteiros que vieram para admirar a obra realizada em tão pouco tempo.

Estava vencida a primeira etapa, sem dúvida a mais difícil, do roteiro traçado há três anos pelos missionários de São Fidélis.

P. Frei Jacinto de Palazzolo
























Copyright © 2001 - 2017  www.saofidelisrj.com.br | Todos os Direitos Reservados.

   empresa responsável Consultoria RP4 & Comunicação   Registro DRT/RJ nº 29740