Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player


Formulário de Contato

Nome:  
Digite seu nome.
Email:  
Digite seu email.Formato Inválido.
Assunto:  
Digite o assunto.
Cidade:  
Digite a cidade.
Telefone:  
Digite o telefone.
Mensagem:  

 





Notícias
   
Site
















Online: 3

Os Voluntários Fidelenses


No dia 12 de novembro de 1864, o ditador Francisco Solano Lopez, do Paraguai, determinou o apresamento do navio "Marquez de Olinda", do Brasil, iniciando naquele instante a Guerra do Paraguai.

Pelo Decreto Imperial de n. ? 3.371, foi criado o Corpo de Voluntários da Pátria, em 7 de janeiro de 1865, para que os cidadãos maiores de 18 anos e menores de 50 se alistassem, com o objetivo de dar combate às forças do caudilho Solano Lopez.

O presidente da Província do Rio de Janeiro, Bernardo de Souza Franco, enviou à Câmara de Vereadores de São Fidélis uma circular datada de 20 de janeiro de 1865, solicitando a apresentação de voluntários, citando o artigo 145 da Constituição brasileira do Império:

"Todos os brasileiros são obrigados a pegar em armas para sustentar a independência e integridade do lmpério, e defendê-lo de seus inimigos externos e internos."

Os voluntários fidelenses que seguiram para a Guerra do Paraguai, e que se imortalizaram pelo seu patriotismo, por serem os primeiros a se apresentarem ao presidente da Província do Rio de Janeiro, foram Antonio Grillo, Antonio da Costa, Manoel Carreiro, Otaviano Soares da Silva, Nazário Pereira da Silva, Cosme Damião de Oliveira, Augusto Júlio Lacare, Fortunato José Gomes de Oliveira, Manoel Martins, Theodoro de Oliveira, Julio da Silva, Joaquim Ferreira Quintanilha, Antonio Ferreira de Moraes, Luiz André ácima e João lgnácio dos Guarulhos.

Pela segunda vez, em 25 de março de 1865, a "câmara de Vereadores da Vila de São Fidélis", em cumprimento à Portaria de 20 de janeiro, encaminhou novos voluntários ao Presidente da Provincia. Foram eles: Antonio José Salles, lzaias Antonio Pereira, José Francisco Correia, Francisco de Paula Rodrigues Teixeira, Joaquim Cândido da Costa, João Antônio Simplicio Rosa, Luiz Gonçalves Lemos, João de Lima Português, Manoel Joaquim Barbosa Filho, João Alves Franco, Alexandre Telles de Menezes e Antonio Garcez.

No ano de 1865 (inicio da Guerra do Paraguai), a Câmara de Vereadores era composta pelos seguintes representantes:

Presidente, tenente-coronel José Joaquim Alves da Cunha; Tenente João Maria da Fonseca Marinho; Antônio Pitta de Castro; dr. Damaso de Albuquerque Diniz; João José Soares Júnior; Antônio José Soares Loureiro; José Narciso da Silva Vieira; comendador Joaquim Manoel Dantas; capitão Dulpho Desedério da Silva Pe; dr. Joaquim Gomes de Menezes; Pedro Rodrigues Xavier da Silva Chaves; José Antônio de Magalhães Garcez; José Gonçalves Barroso Junior; Antonio Pacheco de Campos Lima; secretário, Bernardino José Coelho de Mendonça; procurador, major João Baptista de Campos Pereira; fiscal, Alexandrino José de Carvalho; suplente de fiscal, Antônio José Pereira Fontes; porteiro, José Antônio Vianna; ajudante de porteiro, Antônio Francisco Viana Lírio; alinhadores, José dos Santos Rainha e Benedicto Pinto de Almeida; vacinador, dr. Lopo de Albuquerque Diniz.

Obs. : o presidente da Câmara de Vereadores governava a Vila, com os componentes da referida Câmara.

Autor: Aurênio Pereira Carneiro
























Copyright © 2001 - 2014  www.saofidelisrj.com.br | Todos os Direitos Reservados.

   Jornalista responsável pelo site - Nelzimar Lacerda   Registro DRT/RJ nº 29740

Desenvolvido por: BL Design e Web